sábado, março 26, 2011

Parnaso - a morte de um sonho

Desculpem... acho que não morreu um, mas vários sonhos.

A começar pelo sonho de Fernando Corrêa de Oliveira (conceituado compositor, pianista, pedagogo e teórico musical portuense), que em 1957 fundou o Parnaso, uma escola destinada ao ensino de música, ballet e teatro.

Ao que parece, foi durante décadas um centro de diversas actividades culturais, e o seu auditório era mesmo um dos melhores da cidade para a época.

Mas também morreu o meu sonho, e o de tantas outras meninas que ali cresceram e se fizeram mulheres.

O Parnaso foi a escola onde a minha madrinha e os meus pais me inscreveram no Ballet. Tinha eu 6 anos. Andei lá 10 anos da minha vida, que recordo com muita alegria. Passei lá muitas horas, a praticar, a sonhar... até já não ser mais possível a conciliação de horários.

Ainda me lembro de ter as obrigatórias aulas de música com o referido Fernando Corrêa de Oliveira. (saíam-lhe tufos de pêlos dos ouvidos - o que me impressionava bastante!)

E lembro-me também de como as aulas de sábado eram especiais, pois eram acompanhadas não pelo gravador e pela cassete, mas ao vivo pelo piano (ainda me lembro que quem o tocava se chamava Rui, que depois começou a dar-nos também as aulas de música que antecediam a aula de ballet de sábado)

Quando desisti já tinha 16 anos. Tinha chegado ao chamado Pré-Elementar. No Espectáculo anual já entrava na conceituada 2ª parte, e não na 1ª que era a das "crianças".

Aos 18, já na faculdade, ainda tentei voltar... fiz aulas durante mais uns meses, mas acabei por deixar de vez. O professor já não era sempre o meu querido Maurice César, que agora intercalava as aulas com outras "professoras" que antes tinham sido alunas.

E acho que a escola começou a decair.

Não só por causa disso claro - apesar de que tenho absoluta certeza de que se a escola teve o sucesso que teve, também foi por causa do seu professor.

Mas terá decaído também porque começaram a surgir muitas outras escolas - ainda que muitas sem qualificações. Sim porque a "nossa" era "apadrinhada" pela Royal Academy of Dance de Londres (se não estou em erro? Tenho que verificar nos meus diplomas), e todos os anos fazíamos exames para passar de "grau".


Eu até era boa ao que parece (desculpem a falta de modéstia). Tive sempre óptimas notas nos exames. E quando havia eventos especiais, era sempre uma das escolhidas para participar.

E ficou a mágoa.

Era uma coisa que gostaria de fazer ainda hoje. Dançar ballet. Tenho o meu último fato, os meus collants, as minhas sapatilhas (as normais e as de pontas). De vez em quando ainda as calço... tenho tantas saudades...

...E agora o sonho desfez-se. O edifício continua lá, mas a escola já não existe mais. Nem a de Ballet, nem a de Música, e obviamente não a de teatro - que já nem no meu tempo existia, acho.

Do auditório lembro-me bem... chegámos a fazer lá, 2 festas anuais se não estou em erro (as minhas primeiras)... mas a escola tinha muito sucesso, éramos imensas alunas, e o auditório era diminuto para tanta gente, pelo que a festa anual começou a ser feita no Carlos Alberto, sempre por alturas do S. João... mais dia menos dia.

Eram dias fantásticos. Lembro-me da azáfama dos exames... das festas... dos tecidos, dos modelos dos vestidos.... das nossas mães a "tirarem informações" com a D. Eugénia da secretaria...

Quem me dera que a minha filha pudesse lá andar.

Quem me dera eu poder lá andar, em "aulas sem stress para cotas doidas" ^_^

Tudo o que resta no local, para testemunhar o que o Parnaso foi, e os sonhos que lá se viveram - e se terão desfeito também, é isto:



Pergunto-me o que terá sido feito do César, e das meninas que foram colegas e amigas durante estes anos tão importantes...

14 comentários:

sofia costa disse...

Olha, quero muito inscrever a Alice numa escola parecida com essa. Também tem música, ballet e teatro. Claro que não deve ter a magia dessa, que devia ser uma escola mais intimista mas parece ter muita qualidade e fica ao lado de minha casa. O exames também são da Royal Academy of dance e etc... É esta http://www.academiaregia.com/

anaaaatchim! disse...

Muito bem Sofia! Acho que fazes bem =) A Mafaldocas talvez entre para o ano no ballet, apesar de eu pensar que ainda é um pouquinho cedo... eu só entrei aos 6 anos, e porque queria MUITO *lol*
A Mafalda já pediu (porque há aulas lá na escolinha dela), mas nós para já preferimos pô-la na natação (e ela adora, apesar de continuar a pedir para ir para o ballet, mas acho que é só por causa de tanto "cor de rosa" afinal de contas É a cor "purfida" dela ;))
...eu pelo que me diz respeito, descobri 2 escolas com aulas de Ballet para adultos, e em princípio vou ingressar numa delas... 1 aula por semana, sem stresses. Que saudades que tenho do ballet!!

sofia costa disse...

Imagino que tenhas tantas quanto eu tenho das minhas aulas de piano!!!
Tenho muita vontade de voltar a ter aulas mas é tão caro... E não dá para suportar o meu piano e o ballet dela... Mas também gostava de a meter na natação, só que o ballet fica mesmo ao lado de casa, dá mais jeito. De qualquer forma ela só vai ficar lá se gostar...

Marta Cruz disse...

O meu sonho era ter sido bailarina clássica... o parnaso fez sempre parte desse sonho, sem no entanto ter avanço mais longe que... o lobby de entrada. Era em frente à casa da minha avó, onde praticamente cresci.
Se calhar vi-te muitas vezes nas fotos que afixavam naquela montra na rua N.Sra de Fátima... Sonhava estar ali, do outro lado da montra, presa a uma imagem para sempre.
Já adulta, acompanhei a minha avó aos cursos da universidade da 3a idade... De uma geração a outra. A morte de muitos sonhos e, de alguma forma, parte da minha infância.

Maria das Neves Silva disse...

Vivi toda a minha infância e adolescência naquele prédio mágico! Manhãs fantásticas quando pouco depois do alvorecer o meu querido César ligava a música e ensaiava, dançando com uma paixão e leveza e graciosidade que para sempre ficarão guardadas no baú das minhas recordações! E as miniaturas dos sapatinhos de pontas de ballet, que dependurados na parede da sua sala, sussurravam aos meus doutos 3 anos... Pega-me, leva-me .... DANÇA!!! A ti César, a minha Maria de Lurdes, à Marta e à Sofia; à Denise e ao Tenor Oliveira Lopes, a minha querida vizinha de anda a D. Berta e as Donas Corinas, à minha Paddy (que me ensinou as minhas 1as palavras em Inglês) e à Teresinha(que continuou a ensinar-me e me deu o meu tão saudoso Tuxo)e naturalmente aos nossos senhorios Sr. Correia de Oliveira e à Teresinha a sua fantasticamente alegre esposa, o meu tributo! O Meu MUITO OBRIGADA!! Foi um privilégio fazer parte daquela familia e crecer no meu de tanta arte e sensibilidade pelo BELO!

Anónimo disse...

Eu não diria que é a morte de um sonho, mas concordo que é um sonho que ainda está adormecido pois muito da vida e obra de F.C. Oliveira ainda é desconhecida mesmo dos portuenses. É um sonho que se depender de mim irá despertar, ... para já a memória e do edifício e da pessoa de Fernando Corrêa de Oliveira poderá ser consultada a que o quiser nomeadamente em:
http://www.facebook.com/pages/Edificio-Parnaso/197515836967688?sk=wall
e
http://www.facebook.com/pages/Fernando-Corr%C3%AAa-de-Oliveira-1921-2004/203306736382779

Por Daniel Oliveira (filho de F.C.Oliveira)

P.S-O Prof. César segundo sei está em Lisboa

anaaaatchim! disse...

Muito obrigada Daniel, pelo ponto de situação... Boa sorte para os projectos, mesmo que adormecidos :)

Anónimo disse...

Andava a procura de algo pela internet sobre o Parnaso e a sua "alma" o nosso querido professor Cesar e encontrei este blog.

Posso dizer que felizmente também fiz parte desta família (não sei bem a partir de que idade, porque desde de sempre me lembro de andar no ballet), fui ate as pontas e por trenguixe desisti.
Claro que ao longos dos anos me vim a arrepender cada vez mais e este ano decidi entrar para o ballet para adultos ( relembrar o ballet, mas aos pouquinhos que estou muito enferrujada).

Gostaria de deixar aqui os meu agradecimento por teres-te lembrado do Parnaso e tenho muita pena, mesmo muita pena que esta bela escola onde cresci tenha tido um fim..

Também me venho a perguntar o que é feito do Cesar.. muitas saudades das aulas, da musica, do cheiro da sala e do professor, como é claro.. acho que uma pessoa como ele merecia uma homenagem de alguma forma...

bem deixo aqui as minhas saudades.. Obrigada

Inês Antunes

Inês Antunes disse...

Andava a procura de algo pela internet sobre o Parnaso e a sua "alma" o nosso querido professor Cesar e encontrei este blog.

Posso dizer que felizmente também fiz parte desta família (não sei bem a partir de que idade, porque desde de sempre me lembro de andar no ballet), fui ate as pontas e por trenguixe desisti.
Claro que ao longos dos anos me vim a arrepender cada vez mais e este ano decidi entrar para o ballet para adultos ( relembrar o ballet, mas aos pouquinhos que estou muito enferrujada).

Gostaria de deixar aqui os meu agradecimento por teres-te lembrado do Parnaso e tenho muita pena, mesmo muita pena que esta bela escola onde cresci tenha tido um fim..

Também me venho a perguntar o que é feito do Cesar.. muitas saudades das aulas, da musica, do cheiro da sala e do professor, como é claro.. acho que uma pessoa como ele merecia uma homenagem de alguma forma...

bem deixo aqui as minhas saudades.. Obrigada

AS disse...

Olá, anaaaatchim!

Também soube do afastamento do César. Disseram-me que tinha ido para Lisboa, onde tinha família (os sobrinhos, se não me engano), e que estaria a fazer figuração na tv... Julgo que houve até um jantar de despedida com algumas alunas. Tive pena de não ter sabido a tempo.

Conseguiste trazer-me lembranças de nomes e factos que já há muito não me lembrava.

Também eu recordo todos esses momentos. Foram muitos anos: comecei com 4 anos, e saí com 17... também os horários começaram a ser difíceis de conciliar!

Infelizmente, nem as cassetes de video dos mais de 10 espetáculos de final de ano sobreviveram, com grande pena minha. Restam-me as fotografias.

Para mim faz parte do passado (que deixou marcas positivas até hoje...) e de um sonho que desapareceu há muito, mas tu ainda tens a oportunidade de reviver as emoções do ballet através da tua filha, de uma perspectiva diferente. :)
Esperemos que ela aprecie tanto ou mais do que nós.

E, sim, a nossa escola seguia a linha da Royal Academy of Dance (http://www.rad.org.uk). Outra escola é a Imperial Ballet School.
Outra curiosidade: A Neuza, a única aluna do César que eu me lembro de ter tido formação na RAD, continua a dar aulas de Ballet. Consta da lista de professores "certificados" pela RAD em Portugal.

Obrigada por me relembrares esses tempos.

Susana disse...

Tal como a Inês, tropecei neste blog sem querer.
De repente deu-me uma nostalgia do meu tempo de ballet e ao procurar noticias da Parnaso e do nosso querido Maurice Cesar deparei-me aqui.
É com grande pesar que soube do seu encerramento. Tenho imensa pena que gerações vindouras não possam usufuir daquele espaço, que nos seus infinitos desníveis, recantos e naquela magnifica sala de ballet, emanava a verdadeira essência da dança.
Muitao obrigada pelas recordações, talvez até nos tenhamos cruzado por lá. (Ainda que o meu percuso tenha sido muito curto, apenas de 96 a 98)

Susana Duarte

Susana disse...

Acabei de criar um grupo de antigos alunos da Parnaso no facebook
https://www.facebook.com/groups/504010126290588/
Apareçam por lá a ver se conseguimos encontrar antigas colegas ;)

Claudina disse...

Tudo no Parnaso era especial!!! Até o cheiro... Inconfundível. O lago de nenúfares, a Maria Gata, a clarabóia da sala... E o César!!! Especialmente o César..." Suas monstras", "parecem gellyfishs"... Lembram-se???
Como eu gostaria de lá voltar... Era tão mágico!

Ana disse...

Eu continuo a comunicar com o Cézar por e-mail. infelizmente, as alterações feitas ao Parnaso, a ganância de quem nela passou a mandar nos últimos anos e o convite para o professor abandonar a profissão provocaram uma onde de protesto que por um lado a obrigaram a fechar. no ano em que o César saiu, quase todas ( não digo todas porque da turma de elementar ficaram 2 pessoas durante mais 1 ou 2 anos..) saímos como forma de protesto. e assim morreu o Parnaso. Sei que o Cezar já não tem a jovialidade com que o conhecemos e sei também que fica muito contente cada vez que recebe um e-mail de uma das suas antigas alunas. mesmo as que eram Faustinas macacas! Se quiseres o contacto dele diz que posso passar :) beijinhos de uma antiga colega :)