segunda-feira, setembro 29, 2008

Pânico - de Jeff Abbott

Antes de mais devo dizer que este livro foi uma oferta da Fnac, que eu não podia deixar de aproveitar. Na compra de "Medo" do mesmo autor - que foi lançado há pouquíssimo tempo, ofereciam "Pânico".

Este livro começa com uma chamada telefónica que uma mãe faz a um filho, a pedir que a vá ver urgentemente. A partir daqui a vida de Evan Casher muda completamente, pois descobre a sua mãe assassinada, e escapa ele próprio à morte por uma "unha negra". A sua vida entra em espiral, e tudo o que julgava saber acerca do seu passado e dos seus pais, cai por terra.

Este é um livro actual, com muita acção, e muita traição. Evan tem que permanecer oculto, pela sua vida, pela vida do seu pai, para conseguir vingar a morte da sua mãe, e acima de tudo para descobrir quem eram de facto os seus pais, e livrar-se do peso enorme desse fantasma que ele não sabia existir.

Uma obra que se lê bem, um tempo que se dá por bem empregue, mas que não se coloca na lista do "a ler novamente". Porque se passa tudo no presente, porque não ensina muito... não tem aquela componente histórica controversa que me atrai na leitura. Ainda assim é um autor que se lê bastante bem. Entretém. Para mim cumpre bem o objectivo.

Não gostei particularmente da tradução que a Civilização fez deste livro, que achei demasiado "à letra"... Se enquanto estamos a ver uma série não estranhamos alguém chamar a torto e a direito de "son" uma pessoa que mal conhece, já na leitura é incrivelmente estranho estarmos constantemente a ler "filho" para aqui e "filho" para ali, apenas para exemplificar o tipo de falha de que falo...


Parece verão



Aqui na praia o domingo foi melhor do que muitos de verão... Aproveitámos e demos uma passeata boa, tirámos imensas fotos, da qual escolho esta... tãos lindos os meus amores não são? :)

Fitinha



Quando lhe ponho uma fitinha na cabeça (só por brincadeira), adora olhar-se (ainda mais) ao espelho... Não parece uma bailarininha, prestes a fazer um recital? ;)

terça-feira, setembro 23, 2008

O Elo de Alexandria

Por defeito de profissão vou ter que começar pela capa do livro. Que coisa mais horrorosa meu deus!! Já a última do "Legado dos Templários" do mesmo autor era um pouco assustadora, mas esta bateu todos os pontos, bolas. A D. Quixote anda pelas ruas da armargura no design das suas capas - pelo menos para este autor.

Quanto ao livro... confirma-se (mais uma vez) que Steve Berry se encontra no meu top de escritores preferidos, e este já é o 4º livro que leio dele.

Curiosamente o que menos gostei foi o primeiro que li "O terceiro Segredo" - que sim, tem a ver com o terceiro segredo de Fátima, mas do qual esperava mais... Ainda assim não me dei por vencida e continuei a ler os seus livros, e ainda bem :)

O tema da Biblioteca de Alexandria é-me muito querido (talvez essa seja uma as razões que me levou a adorar um outro livro de um outro autor: "O Mapa dos Ossos"). Só de pensar na magnificiência que tal local terá tido, em todas as obras únicas que nele estaviveram reunidas, quase que fico com suores frios...

E se antes da sua destruição, um grupo de homens e mulheres - antecipando o seu destino fatídico, tivessem desviado milhares das suas obras para um local secreto? E se esse local tivesse chegado aos dias de hoje? Mais ainda... E se esse local guardasse uma versão da Bíblia original em hebraico antigo? Uma versão que poderia deitar por terra o Antigo e o Novo Testamento tal como é hoje conhecido? ...simplesmente porque a terra prometida por Deus a Abraão não ficaria na Palestina, onde hoje está Israel, e porque Israel não seria sequer uma cidade, nem o Jordão um rio?

Steve Berry guia-nos com mestria por entre todos estes "ses", através do seu personagem Cotton Malone, Stephanie e Cassiopeia (os mesmos d' "O Legado dos Templários"), cujo envolvimento nesta aventura é despoletado pelo rapto do filho de Malone, que o visa obrigar a denunciar o elo de Alexandria... uma pessoa que sabe a localização exacta da antiga biblioteca.

Um livro tal como gosto, cheio de acção - que se passa em várias frentes simultaneamente, e com os capítulos bem curtinhos - que facilitam a leitura fragmentada que sou obrigada a fazer.

Uma curiosidade e uma surpresa, é que uma pequena parte da aventura se passa em Portugal, mais propriamente no Mosteiro dos Jerónimos (que a maior parte das vezes o autor teima em chamar antes de Mosteiro de Santa Maria de Belém...).

Finda a leitura, outra parte que gosto sempre muito, e que nesta obra se verifica, é quando os autores em geral se dão ao trabalho de nos explicar como chegaram a este enredo, de quem são as teorias que lhe deram origem (se é que existem), e de separar o que é verdade do que não é.

Mais uma vez, 5 estrelas. Fico a aguardar ansiosa a publicação do velhinho "Amber Room" (o seu primeiro livro que ainda não mereceu tradução para o nosso idioma, apesar de já terem sido comprados os direitos por um estúdio de Hollywood), e os recentes "A traição de Veneza", e - o que seria pedir demais (uma vez que só será publicado no idioma original em Dezembro próximo) - "A perseguição de Carlos Magno".

sexta-feira, setembro 19, 2008

Finalmente...



...depois de uma manhã inteira a "moer-me" o juízo, ATERROU

quinta-feira, setembro 18, 2008

Há cada uma...

Acabei de receber uma mensagem no telemovel, de um numero que não conheço que diz assim:

"Vou jantar"

Quer dizer... por mim tudo bem... desde que traga o tacho!! :)

Ok... afinal

Não era bem chocolate, mas lembrei-me que tinha uma embalagem de cereais Nesquik já aberta... o problema é que já estava há algumas semanas, então as bolinhas já não estão lá muito estaladiças... meti algumas à boca e desisti.

Quando ía a por o saco (por fechar) em cima da impressora fiz este lindo serviço...

Daqui a um mês ainda vou andar a catar bolinhas de cereais, de certezinha :(


Desespero

Já revirei a casa do avesso, e não encontro nem um bocadinho de chocolate!!! Estou a entrar em desesperooooooooooooooooooooo!!

segunda-feira, setembro 15, 2008

Lavar as mãozinhas é bom

Com tanta brincadeira durante o dia, as mãos da piolha ressentem-se... às vezes andam pretinhas, pretinhas! Por outro lado, lavar as mãos é tão fixe!! :)

Fica muito compenetrada na sua tarefa.

segunda-feira, setembro 08, 2008

Rapto - Robin Cook

Quando parti para a leitura deste livro, foi completamente às cegas. Nem sequer um resuminho eu tinha lido. Algumas pessoas conhecidas são grandes fãs deste escritor, e eu aproveitei que o meu pai tem alguns livros dele, vai daí pedi-lhe este emprestado.

Rapto

Bom... confesso que estou um pouco sem palavras... o livro não era nada do que eu estava a pensar - um policial ou um thriller. Delirei por volta da página 50 e qualquer coisa, mas depois fiquei de pé atrás.

Fez-me lembrar o que me aconteceu quando lia "A Equação Dante"... achava que ía ler uma coisa, e saiu-me outra na rifa :)

Não posso dizer que não gostei, mas foi definitivamente diferente. Para terem uma ideia, a verdadeira aventura começa quando um submarino e os seus tripulantes desaparecem misteriosamente perto dos Açores, assim como dois dos seus mergulhadores de apoio.

Digo-vos ainda que dois dos livros que constam na bibliografia são:
- Viagem ao Centro da Terra (Julio Verne 1864)
- Vinte Mil Léguas Submarinas (Julio Verne 1870)

Assim fui transportada para um mundo completamente diferente do nosso, excepto no que diz respeito à raça predominante - pelo menos fisicamente, já que a nível psicológico são bem diferentes.

O final, é deveras surpreendente, e confesso que foi um livro que me deixou a pensar um pouco, não na hipótese de tudo aquele mundo ser real - que não me parece que seja, mas na atitude que nós e os nossos semelhantes temos perante a vida e perante os outros... nomeadamente no que diz respeito à violência.

E bom... espero não ter contado demais :)

Apesar de o livro não ser o que eu pensava, irei definitivamente ler mais de Robin Cook!


Já anda (qualquer coisita)

video

Chef's Little Helper

sexta-feira, setembro 05, 2008

...e não é que a 9 de Setembro:

Parece que vamos ter uma reentré em grande em termos literários!

Pelo menos ao meu gosto :)

Perfeito, perfeito, era se estivesse para sair o novo do James Rollins, mas já fui ao site da Difel, e não é o caso *snif*... Enfim, também não se pode ter TUDO... (ou pode?)

Esfregando as mãos de contente!

quinta-feira, setembro 04, 2008

Já passou

Os dias de aniversário chegam e logo vão. Parecem sempre dias mais curtos do que os outros, nunca conseguimos fazer tudo o que queremos, mas o balanço é sempre e invariavelmente positivo :)

Já há muitos anos que não me sentia tão empolgada com as prendinhas recebidas, parecia uma cachopa!

Para começar a minha wishlist dali do lado já ficou mais pequena em 2 livros: Crime na Cidade de Saint Rest de Thomas Gifford, e O Código do Alquimista de Phillip Kerr.

A fofa da minha mana, ofereceu-me com muuuuuito carinho (e não só), uma máquina de lavar louça da Osul (podem ver aqui), um brinquedo delicioso da década de 70!

Depois a febre das Barbies de colecção... eu escolhi e o marido deu... veio dos EUA, e foi comprada pelo ebay (where else?). Aqui está uma foto do tesouro. A seguir a mammy e a madrinha presentiaram-me com uns deliciosos euros, que já estão destinados para aqui (Barbie Christien Dior, raríssima) e para aqui (Barbie Theatre de la mode, mais rara ainda).

Recebi ainda a linda blusa da foto (acompanhada por uma saia lindíssima também), uma mala do Mickey (hihihihihi, pareço uma miúda!), 2 livros de design e flores!

A cereja no topo do bolo veio mais tarde, pela mão do meu mano, cunhada e sobrinha / sis: 2 bilhetes para ir ver O Lago dos Cisnes, pelo Ballet Russo em Novembro... UAU!

Parecia uma idiota de sorriso de orelha a orelha :)

A culminar a festa, a nossa Mafaldocas portou-se como uma princesa, encantando todos, e aguentando a festa até ao ultimo minuto!

Life is NOT a bitch.



quarta-feira, setembro 03, 2008

OLHÓ TRINTA E UUUUMMMMMMMMM!!!!

É verdade... já cá estou *snif*

segunda-feira, setembro 01, 2008

Praia

Na semana passada levamos a fofas à praia (ok.... atravessámos a rua...). Fomos equipados com balde e respectivos acessórios.

Parece-me que ela gostou :) A areia é que a chateou um bocado...hahahaha! Ficava a olhar para as mãos muito admirada, e tentava estar sempre em cima das toalhas para evitá-la...

Adorou molhar os pézitos no mar!