terça-feira, setembro 23, 2008

O Elo de Alexandria

Por defeito de profissão vou ter que começar pela capa do livro. Que coisa mais horrorosa meu deus!! Já a última do "Legado dos Templários" do mesmo autor era um pouco assustadora, mas esta bateu todos os pontos, bolas. A D. Quixote anda pelas ruas da armargura no design das suas capas - pelo menos para este autor.

Quanto ao livro... confirma-se (mais uma vez) que Steve Berry se encontra no meu top de escritores preferidos, e este já é o 4º livro que leio dele.

Curiosamente o que menos gostei foi o primeiro que li "O terceiro Segredo" - que sim, tem a ver com o terceiro segredo de Fátima, mas do qual esperava mais... Ainda assim não me dei por vencida e continuei a ler os seus livros, e ainda bem :)

O tema da Biblioteca de Alexandria é-me muito querido (talvez essa seja uma as razões que me levou a adorar um outro livro de um outro autor: "O Mapa dos Ossos"). Só de pensar na magnificiência que tal local terá tido, em todas as obras únicas que nele estaviveram reunidas, quase que fico com suores frios...

E se antes da sua destruição, um grupo de homens e mulheres - antecipando o seu destino fatídico, tivessem desviado milhares das suas obras para um local secreto? E se esse local tivesse chegado aos dias de hoje? Mais ainda... E se esse local guardasse uma versão da Bíblia original em hebraico antigo? Uma versão que poderia deitar por terra o Antigo e o Novo Testamento tal como é hoje conhecido? ...simplesmente porque a terra prometida por Deus a Abraão não ficaria na Palestina, onde hoje está Israel, e porque Israel não seria sequer uma cidade, nem o Jordão um rio?

Steve Berry guia-nos com mestria por entre todos estes "ses", através do seu personagem Cotton Malone, Stephanie e Cassiopeia (os mesmos d' "O Legado dos Templários"), cujo envolvimento nesta aventura é despoletado pelo rapto do filho de Malone, que o visa obrigar a denunciar o elo de Alexandria... uma pessoa que sabe a localização exacta da antiga biblioteca.

Um livro tal como gosto, cheio de acção - que se passa em várias frentes simultaneamente, e com os capítulos bem curtinhos - que facilitam a leitura fragmentada que sou obrigada a fazer.

Uma curiosidade e uma surpresa, é que uma pequena parte da aventura se passa em Portugal, mais propriamente no Mosteiro dos Jerónimos (que a maior parte das vezes o autor teima em chamar antes de Mosteiro de Santa Maria de Belém...).

Finda a leitura, outra parte que gosto sempre muito, e que nesta obra se verifica, é quando os autores em geral se dão ao trabalho de nos explicar como chegaram a este enredo, de quem são as teorias que lhe deram origem (se é que existem), e de separar o que é verdade do que não é.

Mais uma vez, 5 estrelas. Fico a aguardar ansiosa a publicação do velhinho "Amber Room" (o seu primeiro livro que ainda não mereceu tradução para o nosso idioma, apesar de já terem sido comprados os direitos por um estúdio de Hollywood), e os recentes "A traição de Veneza", e - o que seria pedir demais (uma vez que só será publicado no idioma original em Dezembro próximo) - "A perseguição de Carlos Magno".

6 comentários:

Pedro disse...

Realmente, gosto muito mais das capas do Terceiro Segredo e a Profecia Romanov!

Cá em casa habita o Terceiro Segredo, ainda à espera de ser desvendado... =) Adorei saber que este fala de uma biblioteca (=P), de um testamento desconhecido, e parece ser uma excelente aventura!

Lerei em breve um livro dele...

ladybug disse...

Diz-me como fazes isso? Como consegues ler tantos livros de enfiada?!?! Ó mulher, que inveja!!

anaaaatchim! disse...

Pedro, o livro que gostei menos dele foi o Terceiro Segredo, mas gostei na mesma, só que esperava mais... De qualquer forma é um livro a reler qualquer dia :)

ladybug havias de ver aqui o Pedro... esse é que lê... eu só consigo ler 3 livros por mês, com muita pena minha :(

sofia costa disse...

Eu já há muito tempo que também penso nisso! Como é que consegues ler tanto??? É mesmo impressionante, e eu que achava que conhecia algumas pessoas que devoram livros...
Eu passo 12h fora de casa, quando chego não paro até me deitar, quando me deito leio 2 linhas e caio para o lado :(

Vale-me algum tempo de leitura no comboio...

anaaaatchim! disse...

Sofia, hehehehe :) Eu vingo-me mais ao fim de semana... as sestas da Mafalda são sempre de 1h30 mais ou menos, ora isso a correr bem dá 3 horas de leitura num fim de semana :)

Durante a semana só leio à noite... um pouquinho antes de tomar banho (uns 10 ou 15m), e depois de jantar e antes de ir para a cama (aqui é que nem sempre)...

Adoro ler, mas não consigo dar vazão aos livros que vou comprando *shame* No entanto aqueles que quero MESMO ler continuo a comprar, porque há-de chegar a vez deles :) (amanhã deve chegar uma encomenda da Fnac com o "Ouro Azul" e o "Criado Secreto" *weeeeeeeee*)

JULIO disse...

Li Traicao em Veneza, O legado dos Templários, A Sala de Ambar e A pocura de Carlos Magno.. todos bons demais... é so escolher e devorar...
Julio Monteiro/ RJ