segunda-feira, setembro 29, 2008

Pânico - de Jeff Abbott

Antes de mais devo dizer que este livro foi uma oferta da Fnac, que eu não podia deixar de aproveitar. Na compra de "Medo" do mesmo autor - que foi lançado há pouquíssimo tempo, ofereciam "Pânico".

Este livro começa com uma chamada telefónica que uma mãe faz a um filho, a pedir que a vá ver urgentemente. A partir daqui a vida de Evan Casher muda completamente, pois descobre a sua mãe assassinada, e escapa ele próprio à morte por uma "unha negra". A sua vida entra em espiral, e tudo o que julgava saber acerca do seu passado e dos seus pais, cai por terra.

Este é um livro actual, com muita acção, e muita traição. Evan tem que permanecer oculto, pela sua vida, pela vida do seu pai, para conseguir vingar a morte da sua mãe, e acima de tudo para descobrir quem eram de facto os seus pais, e livrar-se do peso enorme desse fantasma que ele não sabia existir.

Uma obra que se lê bem, um tempo que se dá por bem empregue, mas que não se coloca na lista do "a ler novamente". Porque se passa tudo no presente, porque não ensina muito... não tem aquela componente histórica controversa que me atrai na leitura. Ainda assim é um autor que se lê bastante bem. Entretém. Para mim cumpre bem o objectivo.

Não gostei particularmente da tradução que a Civilização fez deste livro, que achei demasiado "à letra"... Se enquanto estamos a ver uma série não estranhamos alguém chamar a torto e a direito de "son" uma pessoa que mal conhece, já na leitura é incrivelmente estranho estarmos constantemente a ler "filho" para aqui e "filho" para ali, apenas para exemplificar o tipo de falha de que falo...


7 comentários:

Cristina disse...

Pela sinopse parece ser extremamente interessante. Adoro este tipo de livros, pena é que às vezes o trabalho das editoras deixe muito a desejar.

Canochinha disse...

Ana, nem de propósito... acabei de ver um post com uma análise relativamente extensa dos erros de tradução do livro "Medo". Ora vê aqui: http://o-preto-o-branco-e-o-cinzento.blogspot.com/2008/09/tenham-medo-tenham-mesmo-muito-medo.html. Há coisas simplesmente inacreditáveis...

anaaaatchim! disse...

canochinha, obrigada pelo link.

Eu confesso que já li bem mais do que 3 capítulos do "Medo"...

No entanto acho que não sou tão exigente como as autoras desse post. Claro que provavelmente deveria ser, mas enfim, estou a gostar da história, por isso bola para a frente.

Incomodou-me bastante mais o calão traduzido à letra do Pânico - que foi um exagero...

Ainda assim claro que concordo com o que escrevem nesse post... realmente uma tradutora dessas não tem categoria para uma editora como a Civilização :(

Vitor disse...

LOl

O medo é melhor que o pânico... comprei o panico + medo nessa mesma promoçao, mas a traduçao é PESSIMA! Por cada pagina ha 4 erros, no minimo. Quanto a mim, começarei a comprar os livros apenas em ingles. A historia do Medo, em si, é melhor do qe a do Panico, mas perde tudo graças 'a traduçao. É impossível ler aquilo.

anaaaatchim! disse...

Vitor, também estou a gostar mais do Medo... a má tradução não é razão suficiente para deixar de o ler :) Respeito e admiro a tua convicção de passares a ler os livros no idioma original :) A mim faltam-me a coragem, os neuróneos, tudo :)

Os meus "piquenos" (neuróneos) só querem que os deixe em paz ao final do dia... preferem ler mesmo em português :)

Pedro disse...

Já vi este livro na livraria uma datas de vezes, mas nunca peguei nele. Parece ser muito bom, mas de qualquer maneira não sei se será uma prioridade... Essa tradução assusta-me! =S Não que ligue muito, mas sempre parece que interrompe a fluidez da leitura... Embora pareça um bom livro, ainda não me interessa por aí além.

Svetlana disse...

Tenho esse livro!
heheh!