segunda-feira, agosto 04, 2008

Citação

(Prússia, 1944)

"O professor não se moveu. Estava a observar alguém a bordo do navio acostado ao cais, que atirara uma trouxa para a multidão no embarcadouro. O lance fora curto demais e a trouxa caíra à água. Da multidão saíra então um grito lancinante.

- O que aconteceu? - perguntou ele.
O guarda mal olhou na direcção daquela agitação. - Os refugiados que trazem um bebé dispõem de autorização para embarcar. Por isso, atiram com o bebé para trás, recorrendo a esse estratagema vezes sem conta, como se fosse um livre-trânsito. Às vezes falham e o bebé cai à água."


in Mutação Polar

7 comentários:

João disse...

Não sei o que pensar! Mas foi uma citação horripilante!
Quer dizer, o conteúdo da citação, parece inacreditável, mas no entanto tão realista...

anaaaatchim! disse...

A mim também me impressionou bastante...

Atenção que o livro não é só isso... aliás, só o 1º capítulo é no passado, o resto passasse no "presente". Há qualquer coisa de muito importante no trabalho desse professor, para o enredo do livro... eu é que ainda não cheguei lá (só vou nas páginas 80's :))

Pedro disse...

o.O

Fiquei impressionado. Cruel! Mas no entanto, tão interessante...

Cristina disse...

Sabes o que isto me faz lembrar? A Expo 98... Naquela altura também se falou muito de que havia gente desfavorecida que "oferecia" as suas crianças a senhoras e estas beneficiavam da entrada rápida para senhoras com crianças ou grávidas.

Está definitivamente tudo louco. Sei que isto é um livro, mas há sempre um ponto real de onde parte a história de um livro.

anaaaatchim! disse...

Não consigo imaginar o que é estar numa situação desesperante de querer fugir a uma guerra, a uma morte quase certa...

Francisco Norega disse...

O.O Que citação arrebatadora... Faz-nos pensar que os tempos já foram bem mais dificeis do que são agora... Espero é que com esta história da Geórgia não aconteça o mesmo =/

Mas fiquei curioso em relação ao livro... É de quem?

anaaaatchim! disse...

Francisco o "Mutação Polar" é de Clive Cussler

Atenção que o livro não roda à volta daquela citação... é um livro de acção pura. Esse trecho consta no prólogo, que nos ajuda a situar em relação ao que acontece no presente - quanto ao tal professor e às suas descobertas cientificas, desenvolvidas nessa altura.