quinta-feira, junho 12, 2008

muuuuuitos meses depois



2ª feira, véspera de feriado, fui novamente ao cinema!

Desafiei a Xufia, a Linda e a Carlota a ir ver o "Sexo e a Cidade" - what else? Um filme típico de gaja :) A Carlota cortou-se, então as "4 fabulous" transformaram-se em "3 fabulous", e o pior foi para quem não foi (ouviste traidora???).

Adorei esta quebra de rotina, adorei estar com as gajas, e ficou a promessa de (tentarmos) fazer isto mais vezes! (uma vez por mês que me dizem? Não é um exagero, pois não? O que não faltam são filmes cor-de-rosa e algodão doce ;))

O filme foi bem mais comprido do que esperávamos - para a próxima temos que repensar o horário... que é para no final ainda podermos ir devorar um geladito enquanto trocamos impressões, né?

Foi um filme muito giro, um pouco lento nalgumas partes, e a partir de certa altura exigiu um pouco de sacrifício da nossa parte, porque o tempo passava, e para quem ficou na 6ª fila, o pescoço começava a queixar-se :(

Plot line: no fundo, no fundo, todas as gajas - quando se fala de casamento - querem um casamento de sonho, mas no final o que conta são só e apenas os dois protagonistas.

"I let the marriage become bigger than Big" - aqui está uma lição de vida que, quem ainda não deu o passo, deve aprender, e não deixar acontecer. O acontecimento, não é mais importante que as pessoas (por muito que as forças "externas" - mães, avós, madrinhas - nos pretendam levar a fazer certas coisas, o importante é manter os pés no chão... o casamento é nosso / vosso, em ultimo caso nós / vocês é que mandam. Afinal quem é que se está a casar? Quem é que vai ficar casado - esperemos que - happily ever after?)

Não posso deixar de comentar a cena que mais amei no filme (grande SPOILER): Quando depois de "gorada" a (primeira) cerimónia, os carros dos noivos se cruzam - parando, a cena que se seguiu foi poderosa. A actuação deles foi brilhante, e para mim a melhor de todas foi a de Kristin Davis (Charlotte). De ficar com os olhos a transbordar de lágrimas, e com um nó no pescoço.

Last, but not least: com qual das personagens se identificam mais vocês? Eu respondo já por mim: com a Charlotte, estupida e por veses vergonhosamente FELIZ!

4 comentários:

Pedro disse...

Eu adorava ver a série... =) Ok, as melhores séries são aquelas de personagens femininas, são as melhores! Quer dizer, em geral são as que, embora possam ser medíocres, nos deixam agarrados ao ecrã, só mesmo!

"Sexo e a Cidade" deve ser giro, embora o filme vá ficar para outra altura... Sem querer duvidar da qualidade do filme.

Parabéns pela saída, é sempre bom ir com os amigos ao cinema! ;)

anaaaatchim! disse...

pedro, considero esta série uma pioneira em argumentos geniais, por isso é que nos manteve tanto tempo agarrados aos ecrã!

Agora já há mais argumentos fantásticos - que é na minha opinião o que faz toda a diferença numa boa série (Grey's Anatomy, Desperate Housewives, e Dr. House são alguns exemplos de argumentos que acho sublimes!). Ouvir a voz das personagens em voz off com diversos comentários, também é fantástico (lá está aqui o "Sex and the city" foi pioneiro a meu ver)

Sofia Costa disse...

Eu também fui ver o filme, porque também sou fã da série. Fui com o meu gajo que admitiu que gostou do filme mas é engraçado que também não estavamos à espera que fosse tão longo. De qualquer forma achei que o filme não defrauda em nada os fãs da série.

anaaaatchim! disse...

Sofia (olá!! :)), sim, no geral adorei o filme! Até porque filmes que nos arrancam lagrimas e risos, num mesmo argumento, são sempre bons!

Mas quando se está no cinema, e se começa a pensar que o filme está a demorar muito, não é muito bom sinal (acho eu)...

Houve ali umas partes com pouco dinamismo... para quem estava habituada aos episódios que (com certeza por serem curtos) eram sempre recheados de acção, achei que nesse aspecto, não foi fiel ao que nos habituaram.

Mas o balanço é definitivamente positivo, claro :)