segunda-feira, junho 23, 2008

A Bíblia de Barro

Parti para este livro com grandes expectativas, porque tinha simplesmente adorado "A Irmandade do Santo Sudário", mas um pouco "assustada" com as 600 páginas, que contribuíram para um certo "receio" de que tivesse um pouco de palha (a mais) pelo meio.

Mas não :) Posso dizer-vos que mais uma vez adorei! É um livro substancialmente mais volumoso que o anterior, mas a sua história é bastante mais complicada! A única dificuldade na leitura, deveu-se ao facto de haver imensas personagens, o que por vezes me obrigou a abrandar um pouco o ritmo de leitura (do género, ler um nome, e por uns segundos parar um pouco até me lembrar onde - ou em que "núcleo" da história - esse nome se enquadrava).

Voltamos a ter capítulos que se desenvolvem num passado longínquo, entrelaçados com capítulos que se passam no "presente", e ainda outros de um passado menos longínquo (2ª Guerra Mundial), embora estes jogos sejam feitos a uma escala menor do que no anterior livro, porque no tal "presente" temos mais fios condutores da história principal. Escrevo "presente", mas é na realidade um passado próximo, aquele que antecede a Invasão ao Iraque, onde tem lugar uma corrida contra o tempo (até a guerra começar) que um grupo de arqueólogos (e não só) leva a cabo, a fim de encontrar a tal Bíblia de Barro que dá título ao livro.

Mais uma leitura que não posso deixar de aconselhar vivamente! (e a leitura do "Sangue dos Inocentes" já começou! Mas para já vai lenta... :))

7 comentários:

Tita disse...

Ainda bem q gostaste, eu preferi o Santo Sudário. E sim, a Biblia de Barro tem mt personagens, tive alturas em q tive q voltar um pouco atrás no livro à procura da personagem, pq já me tinha perdido um pouco =P
O Sangue dos Inocentes ainda não tenho, mas está na minha listinha ;)

Um coisa q não tem mt a ver com este post... sabes qual é a ordem cronológica dos livros do Daniel Silva?

Pedro disse...

Este, sim, está na minha lista e espero vir a ler! Parece-me mesmo muito bom, o único problema é mesmo, e sempre, o tempo e o ganho, que infelizmente o dinheiro nunca chega para tudo... *suspiro*

Tu sentes-te assustada com 600 páginas? Eu confesso: os maiores livros são os que mais me fascinam. Eu gosto de sentir esse peso das páginas, de me embrenhar em grandes leituras... (claro, o que eu aprecio mesmo é um livro, portanto grande ou pequeno acaba por ser muito subjectivo) =$ Coisas de viciado. =P

anaaaatchim! disse...

Tita, sim adorei o livro... A única coisa que o poderá tornais mais difícil é mesmo o elevado número de personagens... imagino que tenha sido mesmo por causa disso, que não achaste tanta piada. Eu voltar atrás nunca tive que voltar, mas uma pausa de uns segundos para pensar onde é que o personagem se enquadrava, isso confesso que tive que fazer :)

Quanto à Ordem cronológica dos livros do Daniel Silva (nos quais devo pegar em breve, hehehe), é a seguinte:
- A Marca do Assassino (1998) - este não faz parte da Série Gabriel Allon
- O Artista da Morte (2000)
- O Confessor (2003)
- Morte em Viena (2004)
- Princípe de Fogo (2005)
- A Mensageira (2006)

Pedro, espero que o consigas adquirir e ler em breve :) Pelo menos enquato o tiver "fresco" na memória, para o podermos "discutir" melhor :)

O que me assusta em 600 páginas, é a possibilidade de ser enfarta-brutos... Mas pelo menos com este livro, não se passa isso :)

ladybug disse...

Olá Anaaaatchim! Tenho acompanhado teu blog desde que nos cruzámos através do da Gaja, e devo dizer que é no no mínino admirável, não: invejável, a quantidade de livros que lês. Fantástico!

Francisco Norega disse...

Agora deixaste-me curiosa =P Tenho cá esse e a Irmandade e ainda não peguei em nenhum deles... Mas não deve faltar muito ;)

Cristina disse...

Anaaaatchim, estou também desejosa por pegar n'O Sangue dos Inocentes, mas terá de esperar algum tempo ainda. A Biblia de Barro sempre me pareceu muito cativante e adoro estas histórias que saltam entre o passado e o presente.

Quanto ao Daniel Silva, eu li o Confessor e Morte em Viena, por esta ordem, e adorei. Também ainda me falta quer comprar os que não tenho, quer ler o outro que também tenho: Príncipe de Fogo.

anaaaatchim! disse...

ladybug leio muito menos do que queria... há dias que só dá para ler uns minutinhos mesmo, mas geralmente vingo-me ao fim de semana :)

francisco pega sim! Mas pela primeiro na Irmandade do Santo Sudário sempre é mais fácil de ler, e vais com mais votade para A Bíblia de Barro

cristina, ainda só vou no iniciozinho do Sangue dos Inocentes, para já - ao contrário dos outros livros - está a ser só "passado", mas sei que também terá "presente" :) Nunca mais é fim de semana, para lhe dar uma razia :)