segunda-feira, junho 16, 2008

A irmandade do Santo Sudário

Acabei ontem à noite de ler "A irmandade do Santo Sudário", da espanhola Julia Navarro.

Confesso que foi um livro que adorei ler, bastaram 3 ou 4 dias - o que na minha vidinha dos dias que correm - é muito pouco, e *puf* acabou!

O enredo é simplesmente fascinante: oscila entre o passado - a origem do Sudário e um seu possível percurso, e o presente - uma investigação que procura o que está por detrás de tantos "acidentes" na Catedral de Turim, onde se encontra depositada essa preciosidade nos dias de hoje.

Li por aí algures, numa opinião, que a escrita de Julia era demasiado simples. Eu gostei bastante, e em vez de "simples" prefiro adjectivá-la de "fluída" e "directa", talvez por isso me tenha também prendido tanto. Não descansei até acabar de ler. E de seguida vai já "A Bíblia de Barro", da mesma autora :)

9 comentários:

tita disse...

Tb gostei bastante do Santo Sudário, enquanto a Biblia de Barro custou-me mais a ler, só mais para o fim do livro é que o comecei a ler com mais entusiasmo. Mas pode ser que tu gostes mais ;)

Pedro disse...

Uau, gostei da apreciação, embora tenha na minha lista "A Bíblia de Barro". Espero a tua opinião para saber se mantenho ou se devo trocar por este primeiro...

Gostei muito do teu entusiasmo, hei-de prestar mais atenção à autora.

anaaaatchim! disse...

Pois, eu como já tinha os 3, decidi começar pelo 1º :) Logo começo a Bíblia, vamos lá a ver (tem bastantes mais páginas, mas parto bastante optimista ;))

João disse...

Eu só desapareci por uma semana (ok, talvez duas) e já tenho um milhão de post's para ler! Meu Deus.

Mais vale começar por este. Ainda não tinha ouvido falar do livro, mas parece ser bastante interessante, eu agora que tento ler romances históricos! Já agora falo da "Justiça de Aristóteles", tenho cá em casa mas ainda não o li e também tenho o Enigma, espero lê-los em breve, sempre adorei este altura da história da civilização!

Marcadores! Não acredito que não tenhas visto mais cedo o quanto maravilhosos podem ser, eu também tenho um número considerável e estou como tu: são como ovos Kinder.

Agora a parte mais importante a Mafalda, na foto do teclado, que primeiro está mesmo gira, tenho a impressão que ela sabe que o teclado é diferente dos outros e está a "gozar" convosco quando pensam que ela não sabe a diferença.
Quanto à da cozinha, não tenho que dizer o quanto está engraçada e gira!

Ainda relação ao filme "Sexo e a Cidade" é quase de meter inveja, eu gostava de ver a série, não costumava perder nenhum episódio, mas não sabia que tinha saído o filme (ou sabia?). É que não me lembro de ver a apresentação dele quando fui ver outro filme, pois é habitual antes do filme em si haver apresentações de uns quantos outros). Desatento!

E penso que é tudo, bem quase tudo, há muitos que ainda não comentei, mas este comentário quase que parece um post!

Abraço!

tonsdeazul disse...

Nunca li nada desta escritora. Talvez arrisque com esta tua sugestão.

Cristina disse...

Tinha em grande consideração esta autora, sobretudo por causa das críticas da autora de Constelação das Letras. Finalmente, tive a sorte da Feira do Livro põr uma das obras dela (O Sangue dos Inocentes) como livro do dia. Comprei e ainda aguarda para ser lindo... Espero que me surpreenda e entusiasme tanto como a Irmandade do Santo Sudário fez contigo.

anaaaatchim! disse...

João, obrigada pelo teu quase-post, e bem vindo (mais uma vez) de novo à blogoesfera :)

tonsdeazul e Cristina, já estou a ler (tentar devorar mesmo), a Bíblia de Barro da mesma autora e continuo a adorar! De seguida vai já O Sangue dos Inocentes :)

Quando gosto muito de um autor, adoro ler os livros de rajada! Neste caso foi possível porque ja tinha os 3 (mas ainda vou no 2º)...

Canochinha disse...

Tenho este livro em casa para ler! Parece que já lhe devia ter pegado :)

Alberto disse...

O livro é a favor da autenticidade do Santo Sudário? Cumprimentos