domingo, julho 18, 2010

A Cidade Perdida

Com o verão, a televisão fica - para mim - menos interessante.... Acabam todas as séries que sigo religiosamente, e por isso fico com mais tempo para ler - o que também me enche bastante as medidas =)

Sem Mentes Criminosas, House, Csi, Anatomia de Gray, Castle, Clínica Privada, Donas de Casa Desesperadas - e outras que só deverão começar para Setembro como Chuck ou Medium (ainda bem que está QUASE a começar a ultima temporada do Números no Fox Crime), vou para a cama mais cedinho, e lá consigo ler umas páginas antes de chegar o João Pestana.

Assim, acabei ontem de ler "A Cidade Perdida", de James Rollins. Para não variar em termos de cronologia a editora (Difel) fez o que bem entendeu, pois este deveria ter sido o primeiro livro da série Sigma a ser publicado. Mostra-nos o que até então apenas conhecíamos como o Director da Sigma, como operacional desta força recém criada, e a forma como no final ele se torna Director da organização.

Em termos globais tenho que confessar que achei menos espectacular do que os livros que têm como personagem central o comandante Gray Pierce... Painter apesar de tudo parece ter mais "falhas", e não aparenta ter tantos recursos como Pierce, ainda assim, não deixa de ser interessante vê-lo como personagem principal, num papel mais activo, e talvez por ser menos espectacular - mais realista.

Nesta aventura Painter e a sua recente colega são enviados para Londres como cientistas, para investigarem uma explosão no British Museum, que acreditam ter sido provocada por antimatéria. Na sequência disto, descobrimos que há uma entidade criminosa interessada no mesmo acontecimento - a Guild, liderada no campo pela ex parceira de Painter na Sigma.

Chegando à conclusão que a antimatéria se encontrava surpreendentemente armazenada num artefacto muito antigo, proveniente dos desertos da arábia, rapidamente a investigação se orienta para esse local, em busca de uma cidade perdida, que poderá ter muitas respostas no que concerne à antimatéria.

Como sempre, fiquei a querer mais... fico ansiosa que a Difel publique mais livros da série Sigma (faltam ainda The Doomsday Key, de 2009, e The Devil Colony, de 2010).

3 comentários:

Tita disse...

Gostei deste livro precisamente por mostrar a faceta de Painter como operacional.
E estou como tu... quero mais livros da série Sigma =)

Jose Carlos Grilo disse...

Olá boa tarde. há hipótese de me poder emprestar este livro? A editora faliu e não há em lado nenhum nem sequer para reedições. Obrigado

anaaaatchim! disse...

Boa tarde, José Carlos!

Assim... emprestar.... confesso que me custa bastante :) Sou muito possessiva, hehe!!

O José de onde é? Fazendo uma pesquisa online nas Bibliotecas do Porto, posso ver que existe 1 exemplar disponível para consulta, talvez seja possível requisitá-lo!

Se preferir, posso tentar ajudá-lo a encontrar um em 2ª mão... nos sites de vendas de usados, ou em Alfarrabistas, com certeza deve ser possível!