sexta-feira, maio 22, 2009

Anjos e Demónios



Pois é... andava tão ansiosinha por ver o filme, que se bem se lembram há cerca de 2 semanas, chamei a mim a tarefa de reler o livro, por forma a poder compará-lo melhor com o filme quando este estreasse =)

Não fui vê-lo no dia de estreia, mas fui vê-lo com o meu marido, na passada 2ª feira. É verdade... a 1ª vez que fomos juntos ao cinema desde que a Mafalda nasceu... há precisamente 2 anos e 3 meses!! (foi MUITO tempo!!! ...e pensar que quando namorávamos íamos ao cinema quase semana sim - semana sim)

A verdade é que achei o filme ainda mais distante do livro, do que tinha sido o Código Da Vinci... mas ainda assim, confesso que gostei. Como poderia não gostar? =) Aliás, tenho que o ir ver outra vez =)

Mas houve efectivamente várias alterações em relação ao livro, e para algumas das quais não consigo pura e simplesmente encontrar explicação (e olha o spoiler!!)

1. Alterar o grau de parentesco dos cientistas do CERN Leonardo e Vitória, de pai (adoptivo) e filha, para colaboradores (what the hell?? Leonardo desaparece e aparece um Silvano? Em que é que isso prejudicava a história?? Eu até acho que a tornava mais verosímil)

2. Não marcar o 1º corpo (o cientista do CERN) com o ferro "Illuminati"?? Se era esta uma das razões pelas quais o envolvimento deste grupo se tornava mais verosímil!

3. ELIMINAR a personagem do Maximiliam Kohler??? Uma das personagens que eu tinha mais curiosidade em ver no filme... DUUH!!! Aqui fiquei MESMO triste...

4. O Vaticano a chamar Robert Langdon, em oposição ao CERN o ter chamado - o que era muito mais.... sei lá... verosímil??? =)

5. Mudarem o NOME ao camerlengo?? Porque carga de água?? Carlo Ventresca não estava TÃO bem?? Muito melhor do que Patrick não?

6. O Comandante Olivetti um pró-Langdon?? Hahahaha!!! No livro era dos mais cépticos em relação ao professor, à cientista e à capacidade de destruição da anti-matéria...

7. Porque é que de ambas as vezes que vai aos arquivos secretos, Langdon é escoltado por um guarda suiço? No livro tal não acontece... (tal como ele não tem acesso a nenhuma arma para quebrar o vidro em busca do oxigénio para sobreviver, na 2ª visita)

8. O ultimo dos preferiti, safa-se? *pfffffffff* NÃO, NÃO, NÃO!

9. Mudarem o símbolo do ultimo ferro, do diamante perfeito Illuminatti, para 2 chaves invertidas? Mas porquê??

10. Eliminarem os 2 jornalistas da BBC... *humpf* Outra parte que eu gostei no livro, e que cortaram no filme...

11. Quando o Camerlengo "invade" o conclave, é precisamente com os jornalistas - eliminados no filme - para falar ao mundo inteiro, e não apenas para os cardeais como acontece no filme...

12. A aparição do camerlengo após a explosão da Anti-Matéria era suposto parecer-se mais com um milagre... e ele deveria "aterrar" longe da vista de todos, e aparecer "endeusado" na cúpula de S. Pedro, ao invés de cair de pára-quedas bem no meio da praça...

13. O móbil do Ashasin no filme ter sido o dinheiro, é bem mais fraco do que o móbil do mesmo personagem no livro, que é idealista.

Outras alterações há, que apesar de ter pena por existirem, tenho que compreender que tiveram que ser feitas, pois o filme é de pouco mais de 2 horas... Nomeadamente:

1. O facto de Langdon no filme, não ter ido com o camerlengo no Helicoptero, e de consequentemente não ter sido "traído" por este, e de não se ter conseguido salvar "milagrosamente" (esta parte do livro é talvez a mais difícil de engolir de todas, cá para mim... fizeram bem em retirá-la do filme)

2. O facto de não se explicar que o carmelengo é filho biológico do falecido Papa - apesar de ser um "drama" complicado de explicar no meio de todo o enredo, poderia no entanto ter trazido uma importante "luz" ao filme, pois foi o facto de ele pensar que o Papa - o homem que era seu mentor - tinha ido contra os votos de castidade, gerando um filho, que fez com que se decidisse a assassiná-lo (apesar de nessa altura ele não saber que o filho era ele próprio, nem que tinha sido gerado por inseminação artificial - ou seja pela mão da ciência, que tinha permitido ao Papa ser pai, sem quebrar os seus votos)

3. O facto de Vitoria não ter sido raptada pelo Ashashin, e de não ter sido salva por Langdon (seria mais um pesadelo em termos de gestão de tempo no filme, e não é absolutamente importante para a história - uma vez que o Ashashin morreu na mesma claro, hehehe)

4 . O facto de Vitoria e Langdon não se terem envolvido romanticamente... é que não houve pinta de química entre os dois, durante o filme inteiro. Adoro o Tom Hanks (apesar de me parecer que o Langdon do filme é mais arrogante do que o do livro), mas a Ayelet Zurer no papel de Vitoria... achei terrível... muito fraquinha mesmo!

Apesar de tudo isto, para mim, o balanço continua a ser positivo. Hei-de rever o filme (pelo menos uma vez mais no cinema, e não sei quantas vezes quando sair em DVD, lá para o natal!)

(e prontos... para quem não escreveu aqui durante tanto tempo, hoje não me "calava", heim??)

8 comentários:

Pedro disse...

Epá, epá!

Para mim, isso é DEMASIADA alteração! O.o

Bolas, mudaram mesmo o filme!

"3. ELIMINAR a personagem do Maximiliam Kohler??? Uma das personagens que eu tinha mais curiosidade em ver no filme... DUUH!!! Aqui fiquei MESMO triste..." Mas que raio...

"9. Mudarem o símbolo do ultimo ferro, do diamante perfeito Illuminatti, para 2 chaves invertidas? Mas porquê??" O.O Mas que raaaio... o orçamento não dava para fazer o ferro original?

"12. A aparição do camerlengo após a explosão da Anti-Matéria era suposto parecer-se mais com um milagre... e ele deveria "aterrar" longe da vista de todos, e aparecer "endeusado" na cúpula de S. Pedro, ao invés de cair de pára-quedas bem no meio da praça..." É uma pena, aposto que vê-lo lá em cima seria uma cena bastante poderosa...

=(( Claro que irei ver o filme! Mas para mim são demasiadas alterações, portanto tem de ser mesmo bom para continuar positivo...

Tenho também pena que o filme não inclua a relação entre o carmelengo e o Papa, já que me parece bastante interessante. E Ayelet Zurer já me mete medo só de pensar que pode estar fraca no papel >.<

Conclusão: não irei ver com toda a certeza o livro que tanto me apaixonou, mas pronto...

Francisco Norega disse...

Eu já li o livro há imenso tempo, e por isso lembrava-me de muito pouca coisa, mas aquilo de que me lembrava não estava no filme...

Mas enfim, se esquecermos que foi baseado no livro homónimo, até é um bom filme. Simplesmente há coisas que não havia necessidade de terem mudado... O Robert Langdon no CERN? Nem vê-lo. O "moço" da cadeira de rodas... para onde foi?
Enfim...

Mas aquela banda sonora... *.*

Tita disse...

Hum... e eu que gostei tanto do livro e estava com mt curiosidade para ver o filme... agora depois do teu post, perdi a vontade...hei-de ver mas não com tanta pressa...

Livros de Bia disse...

Ana,
Eu sai do cinema com as mesmas indignações com você.
COMO sumiram com Max Koehler do filme???? Estava ansiosa para ver a aparição dele.
Também achei absurdo terem colocado um simples pesquisador e terem tirado Leonardo Vetra da história...

Algumas coisas eu nem me lembrei como o nome do Camerlengo e também já não me lembrava mais como era o símbolo do último ferro.

Gostei do filme, mas achei as alterações um tanto quanto desnecessárias.

Bjs

Borboleta disse...

Bem tantas alterações!!!

Vou confessar, eu já tinha lido o livro quando este saiu (ou seja à bué da tempo!!!) e não o quis voltar a ler agora, pois já sabia que ia ficar o mesmo ou mais desiludida que tu!
Porque já me habituei a estas alterações ridículas que os produtores ou realizadores fazem, como por exemplo mudar o nome de um personagem… acho isso ridículo!!! (o que é que isso vai alterar no filme, não sei mesmo).

Como lancei um desafio no Bookcrossing, de ler os livros que depois deram filmes, tenho por hábito, fazer estas criticas. Mas agora já aprendi, que para não ficar desiludida nem com o filme nem com o livro, tenho que deixar passar algum tempo depois de ler o livro, para não me aperceber de todas as alterações que fazem quando realizam o filme.

Mas eu fui ver o filme Anjos e Demónios e gostei bastante e espero também ver muitas mais vezes quando sair em DVD


Beijinhos bons filmes e boas leituras!!

anaaaatchim! disse...

Bia, é isso... as alterações desnecessárias, foram as que "mexeram" mais comigo =)

Apesar de tudo, acho que o Francisco disse uma grande verdade "...se esquecermos que foi baseado no livro homónimo, até é um bom filme."

Por isso Tita e Pedro, acho que vale a pena irem ver na mesma... a essência do livro continua lá (a corrida contra o tempo para encontrarem a anti-matéria, a descoberta do caminho da iluminaçao)

Borboleta, estou como tu, com a certeza de que irei ver o filme muitas mais vezes ;)

sofia costa disse...

Bem, eu não li nenhum dos livros, nem este, nem o código da vinci por isso não posso fazer comentários sobre as alterações mas para quem aprecia cinema, este filme está infinitamente melhor do que o outro...

anaaaatchim! disse...

Sofia eu gostei muito do Código também... mas tem um enredo mais complicado, claro!

De qualquer forma, quer um quer outro, são para ver e rever (na minha opinião =))

Tens que experimentar ler os livros, acho que não te arrependes!!