domingo, agosto 30, 2009

A Chantagem do Vixen 03 - Clive Cussler

O segundo livro de Cussler que li com a dupla Dirk Pitt / Al Giordino, onde recuamos um pouco mais no tempo, em relação às aventuras mais recentes: o "presente" são agora os finais dos anos 80.

Leitura fácil e agradável desde a primeira página, tiro no entanto a conclusão de que estou a ficar velha quando me sinto corar ao ler coisas como:

"Antes que ele pudesse fingir um protesto, Loren subiu-lhe para cima do peito e montou-se nele, com as mãos a apertar-lhe os ombros. Ele ficou tenso, rodeou-a com as mãos e apertou-lhe as nádegas macias. Ela sentiu-o crescer debaixo de si e o calor dele pareceu-lhe irradiar através da pele. - Pescar - rouquejou ela - A única cana com que tu sabes mexer não tem molinete"

.... fogo... ó Clive, pá... eu não estou habituada a ler ordinarices destas, hahaha!!! Não deixa de servir para testemunharmos a sua evolução enquanto escritor claro =) Nos livros mais recentes não há nada destas coisas (e não lhes sinto a falta... afinal isto é um romance de cordel, ou um livro de aventura? heim?). O que vale é que só há umas 2 ou 3 situações destas, e a partir de certa altura o escritor deixou-se dessas coisas, para se centrar no que era verdadeiramente importante =)

O enredo desta aventura centra-se num avião desaparecido durante o ano de 1954, com uma carga importantíssima, secreta, e incógnita para nós leitores, até determinada parte do livro. Todos os registos acerca dessa missão desapareceram ou foram enterrados pelo governo, até que Pitt descobre acidentalmente, no ano de 1988, duas peças da aeronave. A partir daí, persistente como só este herói consegue ser, vai juntando as peças do quebra cabeças, e descobrir a horrorizante realidade que se encontra por detrás deste voo, que ainda hoje poderá trazer consequências terríveis à humanidade em geral, e em Washington em particular, que se encontra na mira de terroristas que não fazem ideia do poder que têm entre mãos.

As suas 369 páginas passam a voar pelos nossos dedos até chegarmos ao final, que também me deixa ligeiramente surpreendida, conhecendo um pouco mais da escrita recente de Cussler.

1 comentário:

Tita disse...

Ainda não li nada deste autor, mas tenho um dos livros mais recentes por ler.
Qt às ordinarices do livro, os livros do José Rodrigues dos Santos tb as têm =P